QUANTO COBRAR PELOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS?! - Odonto Finanças
Blog
Gestão Financeira
25
Ago
2020
QUANTO COBRAR PELOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS?!

QUANTO COBRAR PELOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS?!

Quanto cobrar pelos procedimentos odontológicos é realmente uma pergunta desafiadora. Ao definir o valor a ser cobrado pelos procedimentos odontológicos, devemos levar em considerações alguns pontos.

O valor cobrado por um procedimento odontológico deve cobrir os custos de todos os materiais utilizados para realizar este procedimento. Devemos listar todos os materiais que vão ser utilizados no procedimento, calcular quanto destes materiais vai ser gasto, qual o valor de cada um e quanto custa cada dose ou unidade que vai ser utilizada. Por exemplo: para um procedimento que vamos utilizar um sugador descartável, devemos conhecer o valor de cada sugador e acrescentar este valor no cálculo e assim repetir esta operação com os demais materiais.

O valor cobrado deve cobrir o custo com a remuneração do dentista que vai realizar o procedimento. Pode ser uma porcentagem sobre o valor cobrado, pode ser um valor fixo pelo procedimento, ou qualquer forma de remuneração que tenha sido estabelecida.

O valor cobrado pelo procedimento tem ainda que cobrir os custos com o laboratório de prótese, caso o procedimento necessite deste item. Tem de cobrir também os custos com as taxas dos meios de pagamento, aqui estamos falando das taxas cobradas pelas operadoras de cartão. O aluguel do terminal e as taxas descontados em cada transação com cartões de débito ou crédito. Podemos acrescentar aqui também os custos com emessão de boletos, entre outros.

O valor cobrado por cada procedimento deve cobrir os custos com os impostos. Sempre que recebemos algum valor em nosso consultório ou clínica odontológica, devemos emitir uma nota fiscal para quem está operando como pessoa jurídica, ou um recibo para quem está operando como pessoa física, e o custos desta despesa deve ser acrescido na formação dos custos dos procedimentos.

O valor cobrado pelo procedimento deve também cobrir os custos de se manter a estrutura do consultório ou clínica odontológica e quando falamos nos custos da estrutura estamos nos referindo aos custos com aluguel, energia elétrica, salário dos funcionários, honorário do contador, manutenção dos equipamentos, despesas com materiais de limpeza, com materiais de escritório, etc.

Cada procedimento realizado deve contribuir com um percentual deste custo. Podemos realizar este cálculo utilizando a soma de todas estas despesas para se manter a estrutura do consultório ou da clínica dividida pela quantidade de horário disponíveis para atendimento. O resultado deste cálculo vai nos fornecer o valor da nossa hora clínica.

O valor cobrado pelo procedimento deverá gerar algum lucro para a clínica odontológica. O lucro gerado é fundamental para a “saúde financeira” do negócio. É com o lucro que o gestor vai poder gerar uma reserva que poderá ser utilizada em caso de queda da demanda, vai poder gerar o capital de giro da clínica, vai poder investir em novos equipamentos, etc. Com o lucro também os sócios do negócio vão poder ter o retorno sobre o montante investido na montagem ou na compra da clínica.

O valor cobrado pelos procedimentos deve permitir que se implante algum diferencial na prestação de serviços da clínica odontológica. Estes diferenciais são os atributos que vão diferenciar seu consultório ou sua clínica odontológica dos concorrentes. Devemos conhecer os desejos do nosso público alvo, ou seja, o que eles esperam encontrar em uma prestação de serviço odontológico. E aqui, não falo somente dos aspectos técnicos, falo também dos desejos implícitos. Podemos citar aqui aspectos como atendimento, horários disponíveis, capacidade de resposta, empatia, entre tantos outros.

Assim o valor cobrado por um procedimento deve, basicamente, cobrir estes fatores que mencionamos. Entretanto o ato de definir o valor, que chamamos de precificação, passa ainda por considerar os concorrentes.

Descobrir o que estes concorrentes oferecem de diferenciais que encantam os clientes, é fundamental para enfrentarmos estes concorrentes. Esta ação é conhecida como eliminação dos pontos fortes da concorrência, que é em suma, procurar implanta-los também em nossa prestação de serviços para este diferencial, deixe de ser encarado como um diferencia pelo cliente e passe a ser considerado como um elemento básico.

Por exemplo: Quanto iniciou-se os pagamentos com cartões, somente algumas clínicas odontológicas aceitavam esta modalidade de pagamento e isto era um diferencial. A medida que as outras clínicas foram implantando esta modalidade de pagamento, o diferencial de se aceitar o pagamento por cartões de crédito deixou de ser um diferencial e passou a ser o básico.

Então, o valor cobrado pelos procedimentos deve ainda, permitir atitudes estratégias como a análise da concorrência.

Para facilitar mais o entendimento a este assunto, criamos um infográfico sobre o tema desta matéria, e você pode baixar o seu gratuitamente clicando no link abaixo:

https://conteudo.odontofinancas.com.br/infografico1

ODONTO FINANÇAS

Comente essa publicação

Fale conosco